precificação

Precificação: veja como atribuir o preço ideal para seu produto ou serviço

Apesar de ser algo elementar para qualquer empresa, definir o preço dos produtos ou serviços nem sempre é uma tarefa simples. Alguns fatores devem ser considerados para que a precificação atenda tanto às necessidades do seu negócio, cobrindo despesas, custos e gerando lucro, quanto do mercado no qual atua. Quando tudo é colocado na ponta de lápis, é possível perceber se o valor definido irá gerar lucro ou prejuízo.

A estratégia utilizada para precificação não deve ser vista de modo isolado, mas, sim, em conjunto com uma análise financeira, observando também o comportamento do mercado. Isso inclui saber quanto seu cliente está disposto a pagar, o preço empregado pela concorrência, como os fornecedores impactam nesse valor, entre outros elementos.

Aspectos mercadológicos

O valor que a marca tem no mercado, a credibilidade perante o público, o volume de vendas e o comportamento da concorrência são alguns dos aspectos mercadológicos que precisam ser analisados na hora da precificação, pois ajudam a atribuir valores competitivos aos produtos ou serviços.

Aspectos financeiros

Já os custos, o lucro e os tributos dizem respeito aos aspectos financeiros. Assim como os elementos relacionados ao mercado, devem ser considerados na precificação. Veja no que consiste cada um:

Custos

Para definir um preço de venda alinhado à realidade da empresa, é preciso conhecer os custos variáveis e fixos. Os primeiros variam conforme a quantidade de vendas, incidindo diretamente sobre elas. Fazem parte deles os custos com matéria-prima, embalagens, deslocamento e impostos, por exemplo.

Já os custos fixos não sofrem alteração em relação ao volume de vendas, ainda que possam aumentar ou diminuir em função de outros fatores. O aluguel, as faturas de água, luz, telefone e internet, a manutenção de equipamentos e o salário dos funcionários fazem parte desses custos, que terão de ser pagos independentemente das vendas do mês.

É importante sempre revisar os custos fixos para evitar que sejam mais altos que o necessário, resultando em prejuízos. É necessário, entretanto, atentar para que a qualidade do serviço ou do produto não seja comprometida nesse processo.

Lucro

O que irá financiar o crescimento do seu negócio é o lucro. Não há uma receita pronta para definir a margem ideal, pois isso dependerá do que está sendo produzido, para quem é destinado, onde é realizada a produção e outros elementos que diferem de um negócio para outro.

Se uma empresa produz algo comum de ser encontrado, por exemplo, ficará mais difícil estabelecer um preço muito mais alto do que aquele já praticado pela concorrência. Em contrapartida, produtos exclusivos tendem a dar mais flexibilidade à margem de lucro.

Tributos

Ao definir a precificação também é necessário considerar os encargos trabalhistas, valores que variam conforme o mercado no qual a empresa atua e o local onde está situada – a alíquota de alguns tributos é diferente dependendo do estado –, além de outros impostos, como o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços, o conhecido ICMS.

Markup de venda: saiba como calcular este índice

O markup de venda é um índice utilizado para precificação, sendo aplicado sobre o custo de um produto ou serviço. Para o cálculo, devem ser levados em conta os custos, as despesas, os impostos e o lucro. Como exemplo, vamos utilizar uma loja que venda sapatos:

Preço de custo (PC) de um sapato (custo): R$ 80

ICMS (imposto): 18%

PIS/COFINS (imposto): 4,65%

Despesas administrativas (custo): 5%

Lucro: 20%

Custo total da venda (CTV): 47,65%.

No markup é preciso realizar a seguinte equação, de modo que o preço de venda (PV) deverá ser considerado em sua totalidade, ou seja, 100%:

Markup divisor (MKD) = (PV-CTV)/100

MKD = (100-47,65)/100

MKD = 52,35/100

MKD = 0,5235

Para calcular o valor da venda do produto, utiliza-se então a seguinte fórmula:

PV = PC/MKD

PV = 80/0,5235

PV = R$ 152,82

Assim, conforme o markup, cada par de sapatos deverá ser vendido a R$ 152,82.

Margem de contribuição

Consiste no valor que sobra da receita na venda de um produto ou serviço após o pagamento dos gastos variáveis. Aplica-se a seguinte fórmula:

Margem de Contribuição (MC) = Valor das Vendas (VV) – (Custos Variáveis + Despesas Variáveis).

ERP: auxílio importante na precificação

Uma atribuição de preço assertiva requer uma visão completa dos aspectos financeiros do seu negócio. Para minimizar erros e otimizar os processos, o ERP Radar Empresarial pode ser um poderoso aliado para auxiliar na precificação do seu produto ou serviço de maneira mais eficiente.

Trata-se de um sistema integrado, que reúne de forma segura as informações da sua empresa, colocando-as à disposição quando necessário. Para saber mais, entre em contato conosco, teremos prazer em ajudá-lo nessa importante etapa do seu negócio. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *