Orçamento empresarial

Orçamento empresarial: ferramenta essencial para um planejamento eficiente

Como diria o filósofo, planejar é preciso! Bem, não foi exatamente isso o que ele disse, mas sem um bom planejamento, não seria possível nem mesmo navegar, certo? Afinal, é ele que vai facilitar as tomadas de decisões, estabelecer metas e direcionar a empresa para o sucesso. Entre as ferramentas essenciais para um planejamento eficiente está o orçamento empresarial.

Este plano financeiro é o documento que vai prever todas as receitas e despesas da empresa ao longo de um período determinado, normalmente de um ano. Um fator importante que deve ser considerado é que essa previsão não pode se basear somente no histórico do negócio, mas também fazer uma análise objetiva das possibilidades do que pode acontecer no futuro.

De modo resumido, podemos dizer que o orçamento empresarial é o resultado de um processo que tem como objetivo proporcionar o equilíbrio entre os objetivos estratégicos, as iniciativas e o meios financeiros adequados à sua execução. E, não por coincidência, está chegando aquela época do ano em que é preciso parar para dar atenção à elaboração dessa ferramenta tão importante.

Para ajudá-lo neste trabalho, listamos aqui os elementos que são indispensáveis em um bom orçamento empresarial. Siga com a gente e confira!

Os elementos essenciais do orçamento empresarial

Antes de ir diretamente para a elaboração do orçamento, é importante se preparar com algumas informações preliminares. Primeiro, é preciso verificar o que aconteceu no passado. Para isso, você pode recorrer ao orçamento corrente, para ver se o que foi previsto está sendo realizado da forma planejada. E também aos documentos de anos anteriores, que podem dar uma ideia da evolução do negócio e mostrar como tem sido os gastos e os ganhos ao longos dos anos.

Além do histórico, que dá uma visão interna da empresa, também analise como está a situação do mercado de uma forma geral. Quais são as previsões dos especialistas para a economia, da equipe de governo para o crescimento do país e até da expectativa com o mercado externo. Por mais que o seu produto ou serviço seja incrível, ele não está sozinho no mundo. Ele faz parte de uma cadeia, que precisa funcionar minimamente bem para que todos os seus elos possam se desenvolver.

Bom, com esse levantamento de dados em mãos, está na hora de partir para o orçamento empresarial propriamente dito. Então, vamos à nossa lista do que não pode faltar na sua elaboração:

1 – Previsão de vendas

É a quantidade que a empresa pretende receber com as vendas durante o período estabelecido no orçamento empresarial. É a partir dessa projeção que começa o planejamento, pois são os resultados das vendas que possibilitam a elaboração das outras previsões e simulações. Ou seja, sem saber qual montante se intenciona vender, não dá para prosseguir com a elaboração do orçamento.

A previsão de vendas pode ser feita de duas formas: por canais de distribuição e por mix de produtos. No primeiro caso, detalha-se o caminho que o produto ou serviço vai fazer para chegar ao consumidor final, como regiões ou estados, filiais e revendedores. Então, é feita uma estimativa de quanto cada um deles vai adquirir para abastecer seus clientes.

Já na projeção feita por mix de produtos é estabelecido o quanto se pretende vender de cada tipo de produto, segmento, marca, modelo, ou seja, é focado na quantidade de mercadoria a ser comercializada.

2 – Estimativa de despesas

Tendo uma previsão do quanto poderá ter no caixa para o próximo exercício, é possível fazer as estimativas dos gastos, que envolvem as despesas e os custos. Vamos começar pelas despesas, que são aqueles desembolsos que não estão diretamente ligados à produção, mas servem para manter a empresa funcionando. É o aluguel, a energia elétrica, o material de expediente, a manutenção, o salário, enfim, são aquelas contas fixas e que têm pouca variação no valor.

Dê atenção especial aos gastos com a folha de pagamento, pois eles envolvem mais do que somente os valores dos salários. Lembre-se de incluir no orçamento os encargos, os benefícios, as férias e o décimo terceiro, além de possíveis aumentos de salário e rescisões contratuais.

3 – Projeção dos custos

Por se tratar dos gastos relacionados diretamente à produção, é melhor separar esta previsão das despesas. Isso significa que aqui devem ser calculados o valores necessários para garantir a produtividade do negócio, como os preços e as quantidades de matérias-primas e de insumos usados na fabricação de cada um dos itens que será vendido.

Lembre-se, no entanto, que esta projeção precisa estar associada ao planejamento de vendas. Se a sua empresa planeja vender 500 peças em um determinado período, a previsão de custos precisa dar conta de manter a produção desta quantidade e o volume de vendas precisa cobrir esse montante.

4 – Cálculo da carga tributária

Quem é empresário no Brasil sabe que a carga tributária é alta e, em alguns casos, pode chegar a ⅓ dos custos de uma empresa. Então, deixar de fora do orçamento empresarial os gastos com taxas, impostos e outros tributos pode ser um grande erro em seu planejamento financeiro. Faça o apontamento de todas as operações, identificando cada débito e cada crédito tributário.

Se surgir alguma dúvida, peça ajuda ao seu contador, ele é o profissional mais indicado para lhe auxiliar neste momento.

5 – Planejamento de investimentos

Chegamos na parte do orçamento em que são feitos os apontamentos no que se pretende investir no próximo exercício. Pode ser a expansão de um prédio da empresa, a compra de um equipamento ou até a contratação de novos funcionários. O investimento pode ser operacional, como citamos, mas também pode ser financeiro, quando estão ligados a aplicações, como a compra de ações, por exemplo.

Porém, para que o investimento funcione realmente como um bom fundo de reserva, ele precisa constar no orçamento empresarial. Por isso, independentemente do tipo e do valor que a sua empresa pretende investir, faça sempre sua previsão.

Planejamento orçamentário

Como um software ERP pode ajudar com o orçamento empresarial

Como você pode ter percebido, tudo o que falamos até aqui envolve um monte de detalhes da sua empresa. São vários números, de vários setores, que se não estiverem bem organizados e armazenados podem ser uma dor de cabeça na hora de construir o seu orçamento empresarial. Por isso, o melhor a fazer é contar com um bom software ERP para fazer a gestão financeira e ficar tranquilo na hora de lidar com os números.

Na YNOS, oferecemos o ERP Radar Empresarial, que conta com o módulo Radar Orçamento. Com ele, sua empresa consegue centralizar todos os dados do negócio e consolidá-los em uma única ferramenta, facilitando o direcionamento das ações e, consequentemente, a tomada de decisões. Dessa maneira, sua organização ganha em produtividade, velocidade e precisão.

Acesse nosso site ou entre em contato com a gente para saber mais sobre o nosso ERP. Nossa equipe de especialistas está sempre a postos para atendê-lo e tirar todas as suas dúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *