Investimentos financeiros para empresas

Veja como fazer investimentos financeiros para empresas da forma correta

Quando falamos do crescimento de um negócio, nem sempre estamos falando da ampliação da infraestrutura ou do desenvolvimento de um novo produto. Podemos estar nos referindo aos investimentos financeiros para empresas, que são basicamente a aplicação do dinheiro da empresa para aumentar a renda, como fazem as pessoas físicas.

Fazer aplicações financeiras é uma maneira de garantir mais lucro para o negócio ou, ainda, de deixar o caixa equilibrado quando as finanças estão no vermelho. Porém, o empresário precisa tomar alguns cuidados para não cair nas armadilhas do mercado. Por isso, no texto de hoje, separamos algumas dicas fundamentais para quem quer fazer investimentos financeiros para empresas.

Como fazer investimentos financeiros para empresas da forma correta

É claro que, para contar com os benefícios dos investimentos financeiros para empresas, é necessário ter todos os cuidados, desde organizar toda a documentação necessária até escolher a melhor aplicação. Confira o que não pode faltar no seu planejamento!

1 – Organize a documentação necessária

Fazer investimentos financeiros para empresas é um pouco mais burocrático que para pessoas físicas. No momento de fazer o cadastro em uma corretora, são exigidos os seguintes documentos:

  • Demonstração do resultado do exercício (DRE);
  • Balanço Patrimonial;
  • Declaração de faturamento dos últimos 12 meses. Se a empresa não tiver esse tempo de atuação, o contador precisará fazer uma nota simples explicando a jovialidade da empresa e apontando o faturamento do tempo em exercício;
  • Última alteração contratual (se houver).

Você deve estar se perguntando por que indicamos o cadastro em uma corretora, se os bancos também oferecem opções de investimentos. A resposta é simples: as corretoras, de maneira geral, oferecem opções muito mais diversas e atrativas de aplicações do que os bancos.

2 – Conheça os investimentos financeiros para empresas

Não dá para tomar uma decisão sem saber o que existe de alternativa no mercado, certo? Então, antes de escolher, busque informações sobre todos os tipos de investimentos disponíveis. Geralmente, os produtos liberados para pessoas físicas também são para pessoas jurídicas, existindo apenas algumas regras diferentes.

Os títulos de renda fixa, por exemplo, não têm um risco elevado e são garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) tanto para empresas quanto para o cidadão comum. Quando aplicados em CDB e fundos de investimento, as regras sãos as mesmas para todo mundo. Porém, quando a aplicação é feita em LCA e LCI, as empresas não têm isenção de impostos como a pessoa física. E as pessoas jurídicas não podem investir em tesouro direto.

Quando falamos em renda variável, as empresas também estão liberadas para investir, só precisando ficar atentas aos riscos mais elevados. Aqui, a diferença para pessoa física é que a empresa não está isenta de nenhum imposto nas operações comuns de ações. E, justamente por isso, deve ficar atenta para não “pagar para investir”.

3 – Escolha o melhor tipo de investimento

Diante do que falamos, o melhor investimento acaba sendo aquele que se ajusta às necessidades do seu negócio. Por isso, na hora de escolher, siga o planejamento estratégico que foi criado. Ele vai ditar as regras do se próximo passo, ajudando a escolher o tipo de investimento que se encaixa naquilo que sua empresa precisa.

Se ficar na dúvida, faça algumas perguntas a si mesmo: seu projeto é de longo, médio ou curto prazo? Pode ser aplicado em um produto de maior risco? O retorno desse investimento atende ao planejamento do seu projeto? A aplicação que melhor responder a essas perguntas será a melhor escolha para sua empresa.

4 – Reduza os riscos ao máximo

Assim como as pessoas físicas, as empresas fazem investimentos para obterem rendimentos, ou seja, o que elas mais querem é fugir dos riscos. Então, uma das práticas mais inteligentes para isso é diversificar as aplicações. Os especialistas chamam essa tática de pulverizar o risco. Além de criar um cenário em que as chances de perder o investimento diminuem, ainda é possível variar os prazos para que atendam melhor às necessidades da empresa.

Você pode, por exemplo, aplicar uma parte do capital em investimento com maior liquidez (curto prazo), assim fica tranquilo caso ocorra algum contratempo ou uma emergência, e outra parte em títulos de médio e longo prazo. Dessa forma, a rentabilidade pode ser, inclusive, maior do que se todo o recurso tivesse sido aplicado em apenas um opção.

Planejamento orçamentário

Cuidados necessários para investir no mercado financeiro

Além de conhecer os tipos de investimentos financeiros para empresas e escolher o mais adequado para o seu negócio, é importante ter outros cuidados. Manter as informações financeira e contábeis organizadas é essencial, já que documentos como o DRE e o balanço patrimonial, como vimos, são exigidos para entrar nesse mercado. Assim, o indicado é ter tudo atualizado, com informações corretas e seguras.

Para isso, você pode contar com a YNOS para auxiliar a sua empresa. Nós oferecemos o ERP Radar Empresarial, uma solução ideal para organizar e controlar as finanças e os dados fiscais e tributários do seu empreendimento, além de gerar relatórios de forma rápida, segura e confiável. Acesse o nosso site ou entre em contato com a nossa equipe para conhecer melhor o nosso software!

Esperamos que este artigo tenha sido útil para que você invista de forma segura e vantajosa para o seu negócio! Se você tiver outras dúvidas sobre investimentos financeiros para empresas, deixe seu comentário aqui embaixo. Nós estamos à disposição para ajudar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *